Connect with us

Lula livre causa efeito catastrófico na economia; Dólar dispara e Bolsa despenca

ECONOMIA

Lula livre causa efeito catastrófico na economia; Dólar dispara e Bolsa despenca

Moeda americana acumula a maior alta semana desde agosto de 2018

Com a soltura de Lula, a Bolsa de valores brasileira teve forte queda de 1,78% nesta sexta-feira (8) e perdeu os 108 mil pontos. A cotação do dólar disparou e subiu 1,80%, a R$ 4,1680, maior valor desde 17 de outubro. Dentre emergentes, o real foi a moeda que mais de desvalorizou na sessão, que também foi negativa para o mercado financeiro global.

Com a soltura de Lula, a Bolsa de valores brasileira teve forte queda de 1,78% nesta sexta-feira (8) e perdeu os 108 mil pontos. A cotação do dólar disparou e subiu 1,80%, a R$ 4,1680, maior valor desde 17 de outubro. Dentre emergentes, o real foi a moeda que mais de desvalorizou na sessão, que também foi negativa para o mercado financeiro global.

Na semana, a moeda americana acumula alta de 4,25%, a maior alta semanal desde agosto de 2018, quando a cotação subiu 4,8% e foi a R$ 4,10. Na época, investidores temiam que a intenção de votos para Lula pudesse ser transferida a Fernando Haddad (PT-SP), que assumiu seu posto na corrida eleitoral.

Assim como hoje, a guerra comercial entre China e Estados Unidos também pressionava a cotação da moeda.

Analistas apontam que a cena política do país deve ficar mais instável com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em liberdade. No entanto, grande parte do mercado financeiro é tímido ao comentar a saída do petista da prisão e não se sente confortável para avaliar o evento.

Para o sócio fundador da Vitreo, George Wachsmann, a decisão do Supremo Tribunal Federal de barrar a prisão de condenados logo após a segunda instância, e dar brecha para a liberdade de Lula, “é andar para trás e aumenta a insegurança jurídica no país e com certeza vai trazer barulho político”.

*por Folhapress

Deixe um comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in ECONOMIA

To Top
%d blogueiros gostam disto: