Forças Armadas bolivianas afirmam que não enfrentarão o povo nas ruas e Evo Moreles pode cair a qualquer momento

“As Forças Armadas, enquadradas na democracia e nas leis, garantiremos a união entre compatriotas e ratificamos que nunca enfrentaremos o povo”

As Forças Armadas bolivianas informaram no sábado sua decisão de não confrontar o povo boliviano, por isso solicitaram que os problemas políticos apresentados pelo país fossem resolvidos, garantindo os mais altos interesses da nação “antes de atingir momentos irreversíveis”.

O general Willimias Kaliman, juntamente com o alto comando militar, leu uma declaração em que eles aceitaram que a Bolívia está vivendo em um estado de “revolta social”, transmitiu a emissora boliviana Unitel.

Ele acrescentou que a instituição está sujeita a regulamentos e leis, por isso elas estão ligadas ao comando militar, disciplina, ordem e respeito pela Constituição Política do Estado, como guardiões da ordem e estabilidade do país.

“As Forças Armadas, enquadradas na democracia e nas leis, garantiremos a união entre compatriotas, por isso ratificamos que nunca enfrentaremos as pessoas que devemos e sempre garantiremos a paz, a convivência entre irmãos e o desenvolvimento de nossa pátria. Disse Kaliman.

OEA denuncia manipulação nas eleições da Bolívia

Em comunicado à imprensa, a OEA afirmou ter encontrado “manipulações do sistema informático” ao auditar as eleições que deram vitória a Evo Morales na Bolívia.

“Foram encontradas irregularidades, que variam entre muito graves e indícios. Isso leva a equipe técnica auditora a questionar a integridade dos resultados das eleições de 20 de outubro”, disse.

A OEA afirmou ainda ter descoberto falhas graves de segurança “no componente informático”.

*Com informações da NTN24 Venezuela

Redação Escapuliu: