Connect with us

Alexandre Garcia: “STF decidiu que culpado não será preso enquanto puder pagar advogado”

JUSTIÇA

Alexandre Garcia: “STF decidiu que culpado não será preso enquanto puder pagar advogado”

Alexandre Garcia narra a tragédia política e institucional causada pela decisão do STF, mostrando que, por ora, a decisão do Tribunal apenas beneficiou corruptos multimilonários – além, é claro, de fazer críticas mais que pertinentes à verborragia inflamátoria do criminoso e condenado, Lula. Confira trechos:

“Condenado a 20 anos o ex-governador de Minas Gerais do PSDB, do mensalão tucano, foi solto. Embora tenha sido condenado, e condenado. Mas, o Supremo Tribunal Federal decidiu que condenado duas vezes só não basta. Tem que continuar sendo condenado até chegar no final dos tempos, no juízo final, para cumprir a pena, o castigo merecido […] saiu também o José Dirceu, o cérebro do PT, o primeiro a ser denunciado no governo petista.”

“Eu quero resumir a decisão do Supremo, que diz o seguinte: o sujeito é declarado culpado, mas, enquanto ele tiver dinheiro para pagar advogado, ele não é preso.

O sujeito sendo corrupto, que roubou muito dinheiro, sendo assaltante, que roubou muito dinheiro, só vai para a cadeia depois de gastar todo dinheiro com os advogados. Porque, enquanto tiver recurso, ainda não transitou em julgado.”

“Mas eu queria registrar a postura do presidente da República, que respeitou os poderes. Não houve nenhuma interferência, nenhum tipo de pressão, nada, zero, em relação ao Supremo. Nenhuma interferência em relação a um preso que estava cumprindo pena em um prédio do Poder Executivo, custodiado por uma instituição do Poder Executivo. O chefe do Poder Executivo não interferiu em nada. Exemplo de tolerância, respeito às instituições e ao adversário […] já o condenado, depois de solto, atacou, ofendeu o Judiciário, autoridades, agentes da lei, com o costumeiro linguajar. “

*Via Boletim Coppolla

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in JUSTIÇA

Advertisement

Em Alta

Advertisement

NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

To Top